topo

Por que você quer abrir uma empresa?

Você teve uma ideia de negócio, está cansado do seu emprego ou da sua vida/rotina e decidiu que vai abrir a própria empresa. Ok, super apoio. Mas e agora, quais os próximos passos, o que você deve fazer antes de abandonar o emprego ou a situação atual e se jogar nesse mundo cheio de responsabilidades e decisões difíceis chamado empreendedorismo? Será que você está preparado?

Apesar de estarmos vivendo a era das startups e de parecer que hoje é muito legal, divertido e até fácil ter uma empresa (ainda mais com tantas possibilidades no mundo digital), antes de tomar essa decisão você deve analisar alguns pontos bem importantes:

1.Por quê?

Ganhar mais dinheiro, não bater ponto, não ter um chefe chato… Se essas são as principais razões que te motivam a empreender temos aqui o primeiro sinal de alerta 🚨 Claro, seria hipocrisia dizer que quem abre uma empresa não está visando lucro, todo empreendedor quer ser bem sucedido, ter mais qualidade de vida e ganhar dinheiro. Porém, somente isso não é suficiente para você ir em frente. Acima de tudo é necessário que você tenha um propósito, um porquê, o SEU porquê.

Sabe aquele papinho manjado de acreditar no que faz, amar o trabalho, brilho no olhar blá blá blá 🙄. Pois então, pode parecer clichê mas é isso mesmo. É aí que mora o seu porquê. A partir do momento em que fica claro para você o que te motiva e qual o propósito daquilo que está fazendo, também fica muito mais fácil das pessoas acreditarem em você, no seu produto ou no seu serviço. Afinal, independente do tipo de negócio que você crie, para que dê certo é necessário fazer com que os outros se identifiquem e comprem sua ideia, não é mesmo?

Quem explica muito bem isso é o autor, palestrante e consultor de marketing Simon Sinek“As pessoas não compram o que você faz, elas compram porque você faz isso!”, diz Simon em uma das palestras mais conhecidas do TED onde ele explica o seu conceito do “Círculo de ouro”. Vou deixar a palestra aqui em baixo, vale a pena assistir.

2.Quais os seus valores?

A sua empresa é uma ideia que você criou. Em algum momento foi da sua cabeça que veio a motivação para empreender. Mesmo quando se tem sócios ou parceiros, seu caráter, suas crenças e seus defeitos também fazem parte desse negócio. É preciso então definir quais os valores que a marca quer transmitir para que se possa construir uma diferenciação entre pessoa física e pessoa jurídica. Muitas vezes seus valores pessoais vão ser os mesmos que os da sua empresa, mas isso não é uma regra. Esses valores vão derivar do seu propósito e dar ainda mais embasamento ao seu porquê.

Por mais startupeiros, disruptivos e inovadores que os empreendedores sejam atualmente, construir a missão, visão e valores da marca (ainda) é um passo fundamental. No início, a empresa pode ser só você e provavelmente tudo isso já vai estar meio que automaticamente inserido na sua cabeça e nas suas ações. Porém, a partir do momento em que houver mais uma pessoa trabalhando no seu negócio é de extrema importância que ela também saiba o propósito e os valores que movem aquele trabalho. Afinal, como citei acima: “As pessoas não compram o que você faz, elas compram porque você faz isso!” e esse você aí da frase não é só o dono da empresa não, são todas as pessoas que de alguma maneira estão envolvidas com a marca.

3.Que empresa você quer ser?

Eu sei que tipo de empresa é boa ou ruim – para mim. O que eu acho importante ou não. Acredito que você também saiba e tenha bem estabelecido na sua consciência quais são as preferências e requisitos na hora de optar por comprar algo de alguém. Então, antes de sair empreendendo por aí identifique no mercado as referências boas e ruins de acordo com os seus valores e estabeleça o tipo de empresa que você vai ter.

Não tem certo ou errado. Você pode acreditar que uma empresa completamente fria e impessoal vai atender bem à demanda do seu público, e tudo bem. Se você optar por se posicionar assim e se isso vai de encontro ao seu propósito, perfeito. Mas também faça uma análise a longo a prazo: daqui 10, 15 anos, como você quer que sua empresa seja vista? Ela continua sendo o tipo de empresa que você criou? A cultura da empresa permanece a mesma? E com isso vamos ao próximo questionamento ↩️

4.Qual seu impacto na sociedade?

Bem, se você já sabe o que te motiva fica mais fácil traçar metas e objetivos para o futuro. Por mais que ter uma empresa signifique estar em constante mudança e aprimoramento, tudo acaba derivando lá do seu propósito inicial. Independente do tipo de negócio, tamanho, área de atuação. Tudo o que fazemos tem um impacto no mundo.

Ao tomar as decisões sobre sua empresa tenha isso em mente e alinhe suas expectativas de negócio aos benefícios que você quer trazer, seja localmente, no seu bairro ou em uma escala maior. Ter um negócio vai além do indivíduo, então não seja egoísta. Se você oferece um serviço ou produto você está resolvendo um problema/necessidade de alguém e, além dessa ação gerar receita e impactar a sua vida e a do seu cliente, pode ser que você também contribua, se alguma maneira, com a sociedade. Seja pelo seu posicionamento, pelo tipo de produto, pelas ações que você promove, pelo impacto ambiental… Todas as nossas ações tem consequências, então planeje para que o impacto que a sua empresa gere seja positivo✌️

5.Você tem certeza que é isso que você quer?

Tá, sei que essa é uma questão difícil e não estou aqui para desencorajar ninguém. O que eu quero que você tenha consciência é que começar um negócio significa doar grande parte do seu tempo para isso. Você vai ser o principal especialista do seu negócio e vai passar a falar sobre isso o tempo todo com todo mundo. Percebemos então, mais uma vez, a importância do propósito. Se você vai empreender em algo que não curte tanto assim ou só pelo dinheiro pense comigo: quanto tempo você vai aguentar? É igual estar em um trabalho que você odeia, só que 24 horas por dia e sem férias.

Não importa se você vai vender água na praia (falando nisso, já leu o post sobre o Rick Chester?) ou se vai vender diamantes em Paris. O sucesso do negócio está ligado ao seu amor pelo que faz, ao seu porque e ao comprometimento com seu trabalho. Empreender não é nada fácil mas também é maravilhoso. Não se prenda apenas ao medo de não conseguir pagar os boletos no final do mês 💸 (esse é um medo que nunca passa meu bem, confesso 😁). Se planeje, estude, tenha calma e consciência do que está se fazendo e, quando estiver preparado, se joga pro lado de cá🙋🏼. Ah, e não ache que mesmo com todo esse planejamento tudo vai sair como você sonhou. Falhar faz parte do processo é também é fundamental. Erre o máximo que puder e esteja sempre aberto às transformações que a vida nos apresenta.

 

Kelly Gequelim

Kelly Gequelim

Fotógrafa, publicitária, empreendedora, especialista em comunicação digital e apaixonada por histórias e pessoas. Acredito na colaboração, na conexão e nos novos modelos de trabalho. Juntos podemos construir a mudança que queremos no mundo. Juntos vamos sempre mais longe.

  • Carlos Santos Silva

    Boas dicas “porquê você faz isso” é genial!
    Poder observar isso que é complexo. Encontrar esta resposta e satisfazer-se que é o complicado.
    Muitas vezes e provavelmente vai ser o ponto focal o financeiro.
    Devemos ter em mente o prazer que isto pode gerar.
    Seria isto?

    18 de janeiro de 2019 at 17:01 Responder

Deixe um comentário