to top

O que você tem a ver com a revolução da moda

fb-fashionrevolution

Você pode se perguntar: eu não trabalho com moda, eu mal gosto de moda, então eu não tenho nada a ver com isso. E eu te digo que tem sim. Se você não anda pelado por aí, você consome moda. E a moda se move por quem consome dela, então é somente você o maior responsável pela revolução da moda. Responsabilidade, né?

Mas se acalme, eu to aqui pra fazer você pensar sobre isso. E ainda mais: ajudar você a fazer a sua parte, cada um fazendo uma partezinha dá pra mudar o mundo todo.

Primeiro vou te contar que essa semana tá rolando o Fashion Revolution, evento mundial que visa repensar o processo de produção das roupas. Começou depois do desabamento do edifício Rana Plaza em Bangladesh no dia 24 de abril de 2013 que deixou 1.133 mortos e 2.500 feridos. E essa é apenas, uma história de várias, que falam de escravização e processos que acabam com o meio ambiente na hora de produzir as roupas.

Como o Fashion Revolution acontece? Com vários eventos e workshops para os criadores buscarem uma forma mais sustentável de criar as roupas que você veste. E tem o objetivo de levantar a seguinte questão para os consumidores:

E as roupas que você veste, vem de onde?

A conscientização é o primeiro passo para a mudança no mundo. Se você falar que sabe da onde suas roupas vem, já é um passo. Pode ser da China, Europa, não importa, começa importando que você sabe de onde vêm. Depois você pode começar a pensar em que processos de desenvolvimento essa roupa passou para chegar na sua mão, e é aí que (eu espero)  você comece a conhecer marcas locais, pois só assim você se torna mais próximo e parte da mudança.

E aí é que eu entro pra te ajudar. (pode me agradecer nos comentários, eu deixo. hahaha) Eu facilito a sua vida trazendo uma curadoria de marcas locais. Ajudo você a pensar o seu estilo e auto-estima, pois acredito que pessoas que se conhecem e estão bem com elas mesmas são capazes de tomar atitudes que mudarão o mundo.

Obrigada por acompanhar o Não Repete e fazer parte disso, eu faço a minha parte, você faz a sua e juntos o mundo vai mudando.

Conheça meu projeto de marcas curitibanas ou comece a descobrir seu estilo comigo.

Dica de documentário pra assistir no netflix sobre o tema: The True Cost.

Guid Meinelecki

Guid Meinelecki

Hingrid Meinelecki, no instagram @guid brincando de moda com o Não Repete no facebook.

  • Elena Savi

    …tamojunto e o MUNDO vai mudando, porque “mudo”só não fala, mas, também ajuda mudar…sorry !!!

    28 de abril de 2017 at 18:46 Responder
  • Carol Justo

    Eu gostei da proposta, eu sempre fui muito cuidadosa ao consumir roupas, eu odeio a Zaara pois ela utiliza trabalho escravo, apesar de amar a Beyoncé, acho que jamais comprarei alguma linha da Ivy Park pois a roupa é produzida em um local que a mão de obra é super barata e a cobrança pelas peças é um absurdo. Mas ao mesmo tempo que me preocupo eu acho muito complicado achar certos tipos de roupas em marcas locais, ainda mais roupa com qualidade.

    Adorei o seu post.

    29 de abril de 2017 at 15:00 Responder

Leave a Comment